No início dos anos 60, o jovem dentista Jesuino Bicudo de Avelar, se deparou com uma situação cuja qual teve que orientar uma jovem cliente grávida e solteira.
Esta jovem, não tendo recebido de sua família o apoio necessário naquele momento, recorreu ao jovem dentista (Nosso IR.:) e sua família, na tentativa de encontrar a melhor solução, mas infelizmente por causa de outras circunstancias e pessoas envolvidas, não conseguiu contemplar a vida e impedir que um final muito triste ocorresse.
Consternado pela situação, IR.: Bicudo chamou para si, a responsabilidade e a disposição de ajudar pessoas em situações semelhantes. Começou a se dedicar na tarefa de orientar casais que pretendiam adotar, gestantes com dificuldades diversas na gestação, e ainda a receber em sua casa, crianças que aguardavam adoção. Apesar de tudo, o mesmo, juntamente com sua jovem esposa (Nossa Cunhada - Lucia Bicudo), não tinham filhos e ao mesmo tempo não se achavam preparados para ADOÇÃO.
Com auxílio do Grande Arquiteto Do Universo (Deus), e a luz desejada, quis o mesmo “Caprichosamente”, que os filhos biológicos não viessem… assim fizeram sua primeira adoção em 1969.

Começaram a surgir então, inúmeros voluntários e interessados em ouvir orientações e trocas de experiências de futuros pais do coração.

O IR.: Bicudo tinha ainda outra paixão: o "Coral PIO Xl". Localizado na cidade de Campinas, a partir de 1980, adotou o grupo que informalmente ficou conhecido como APA - Associação Pais Adotivos, nome este muito significativo, pois os integrantes também eram pais ADOTIVOS trocando experiências.

A partir de então, passou a integrar o Departamento Social do Coral Pio Xl com muita luta e afinco, porém, regada de amor, dedicação e idealismo. O IR.: Bicudo venceu inúmeros e grandes obstáculos para dar continuidade ao trabalho.

Hoje, grandes avanços já se verificam na sociedade, inclusive na área da legislação, onde citamos como exemplos, a diminuição do tempo de guarda provisória (de 05 para 01 ano no máximo), o reconhecimento da igualdade social da certidão de nascimento de filhos biológicos e adotados e, de igual importância, a conquista da licença maternidade para mães adotivas a partir do termo de guarda.

No dia 06 de novembro de 2006, o IR.: Bicudo ou mais conhecido como Dr. Bicudo, descansa no oriente eterno, deixando sua esposa Lucia Bicudo, três filhos, três netos e uma legião de amigos, admiradores e colaboradores.